Filmes e alegria marcam Cinema no Circo do Cineamazônia em Candeias do Jamari

por Interlegis — última modificação 26/07/2017 18h14
A 15ª edição do Cineamazônia tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e da Lei Rouanet.

 

Foram 13 filmes exibidos, muitas brincadeiras e alegrias proporcionadas pela palhaça Tetéia. Assim foi o resumo do Cinema no Circo, primeira atividade da 15ª edição do Festival Latino Americano de Cinema Ambiental – Cineamazônia no ano de 2017, na noite da quarta-feira (19), na praça da Câmara de Vereadores de Candeias do Jamari. Apesar do friozinho, dezenas de pessoas foram ao local.

Uma das metas do projeto é a compreensão da necessidade de descentralização de suas atividades, por meio da projeção filmes durante todo o ano, entre os meses de julho a outubro em diversas localidades. “Acho interessante essa oportunidade oferecida pelo Cineamazônia. Mesmo tão perto de Porto Velho, a cidade não tem um cinema ou sala que mostre filmes. Por isso, aproveitei a chance”, comemorou Joubert Rodrigues.

Quem também aprovou a chegada do Cinema no Circo em Candeias do Jamari, que está distante apenas 20 quilômetros de Porto Velho, foi a jovem Jéssica Paiva. “Gosto de filmes de luta e meu marido está curtindo as músicas que estão passando antes dos filmes e da apresentação da palhaça. Acho legal a oportunidade de conhecer outros tipos de filmes”, falou ela.

Durante a atividade foram exibidas produções premiadas (curtas-metragens) durante a Mostra Competitiva do ano passado, entre animações, ficções e documentários brasileiros, de países como a Venezuela e Suíça. O destaque na grade de projeção para o filme “A Troca”, da diretora de Rondônia, Joelma Silva Ferreira, ganhadora do Prêmio Lídio Sohn – Melhor Produção Rondoniense, em 2016.

A palhaça Tetéia encerrou a programação fazendo diversas brincadeiras com a plateia, com grande participação de crianças e adolescentes. “Para mim, é importante participar de mais uma edição do Cineamazônia, onde temos a oportunidade de falar sobre a preservação da natureza por meio de gestos simples, como não colocar fogo no mato, que é muito comum nessa época”, destacou Suely Rodrigues, que é responsável pela personagem.

Tetéia também encontrou um pequeno fã em Candeias do Jamari: o pequeno Asaph Vasconcelos, de apenas seis anos de idade. “Vim aqui só pra ver ela. Eu conheço ela. Vi no jornal da televisão hoje de manhã e gostei dela. Por isso, pedi pra minha vó me trazer”, vibrou ele.

A 15ª edição do Cineamazônia tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e da Lei Rouanet. Ainda tem o apoio cultural da Sejucel, Funcultural, Fecomércio e SESC Rondônia. O Cineamazônia é associado ao Fórum dos Festivais e membro do Green Film Network.

FOTOS BETHOVEN DELANO/Acervo Cineamazonia 2017.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.